Seychelles Viagens Viagens de aventura Viagens de lua de mel

Seychelles – 5 trilhas fáceis para fazer em Mahé

Mount Copolia, Mahe, Seychelles -232464520

O lindíssimo arquipélago de Seychelles foi formado há cerca de 65 milhões de anos. Combinações geográficas inusitadas contribuíram para a formação do país, com as principais ilhas localizadas em seu centro.

Acredita-se que Mahé, Silhouette, Praslin e La Digue estejam entre as ilhas mais antigas do planeta. A paisagem tem planícies costeiras estreitas e com cumes que geralmente têm de 400m a 900m de altura sendo um lugar perfeito para quem gosta de aventura!

Seychelles tem também outro tipo de formação geológica. As ilhas de coral, localizadas na borda externa do arquipélago têm um perfil geológico completamente diferente, com picos mais baixos do que as ilhas centrais.

seychelles

O resultado disso tudo é uma paisagem inesquecível e propícia para fazer caminhadas cheias de aventura. É um excelente destino para quem ama fazer trilhas e explorar a natureza, tendo ainda como recompensa o acesso a mirantes com vistas paradisíacas.

Abaixo, confira 5 trilhas para fazer na ilha principal, Mahé:

Copolia Trail 

copolia

Distância: 1.6 km

Duração: 45 min

Dificuldade: fácil

Como chegar: da capital Victoria, siga em direção à estrada Sans-Souci. Depois de alguns quilômetros, estacione perto do Copolia Lodge. A trilha fica do outro lado do hotel, perto da parada de ônibus.

Esta é uma das caminhadas mais populares para os locais e leva a um platô rochoso com uma vista panorâmica da costa leste. Ao lado da estrada Sans-Souci, a trilha começa com uma descida na floresta, à sombra de um grande ipê, conhecido por suas flores brancas e rosas pálidas. A caminhada alterna entre subidas e descidas e, depois de centenas de metros, grandes blocos de granito começam a aparecer em ambos os lados. Após 1,3 km, chega-se à área de Glacis, mais rochosa e exposta. Há uma escada estreita de metal que leva ao cume da caminhada, um ensolarado platô de granito. De um lado está a vista da copa das árvores e do outro a costa de Mahé. Montinhos de pedras construídos por visitantes estão espalhados no local. Também é possível ver os picos Trois Frères, Morne Seychellois, Morne Blanc e Congo Rouge.

Ao chegar ao mirante próximo à beira do penhasco, a vista é de tirar o fôlego, incluindo o mar aberto e as ilhas vizinhas, Moyenne e Curieuse. Este é o local perfeito para observar plantas endêmicas montanhosas que crescem nessa elevação, especialmente os grandes canteiros de plantas carnívoras.

Glacis Trois Frères

l_dsc_0261

Distância: 1.4 km

Duração: 35 min

Dificuldade: fácil

Como chegar: da estrada Sans-Souci, pegue a pequena rua asfaltada que leva em direção à montanha, localizada em frente ao supermercado. Passe pela área residencial para chegar à trilha.

Uma das trilhas mais populares de Mahé – que não inclui o pico, por questões de segurança e já foi uma rota de peregrinação. Assim que o viajante entra na rua asfaltada, ele consegue observar a famosa cruz Trois Frères. Uma peregrinação católica tem sido realizada lá por muitos anos durante as celebrações da Páscoa. Mas os visitantes são advertidos contra a caminhada até esse ponto, pois a trilha não é segura. Recomenda-se que terminem sua caminhada no antigo abrigo.

Sob os pés, o solo erodido se transforma em um caminho pavimentado com grandes pedras e continua por blocos de granito em uma parte íngreme. No topo, é preciso prestar atenção aos sinais e seguir o símbolo do mirante.

A trilha termina em um pequeno planalto, com uma vista da costa oeste. Ao descer, reserve um tempo para observar as diferentes espécies de palmeiras endêmicas ao longo do caminho. Muitas vezes, é possível avistar o famoso pombo azul das Seychelles.

Anse Major

anse

Distância: 2 km

Duração: 40 min

Dificuldade: fácil

Como chegar: no extremo sul da estrada de Bel Ombre, a trilha começa entre as últimas casas da vila.

Lindas vistas, praias perfeitas e flora única são as principais atrações desta caminhada.

Esta trilha leva a uma das praias mais bonitas da ilha, chamada Anse Major.

No final da estrada de Bel Ombre, há um bebedouro à direita. O início da trilha está muito próximo, à esquerda, passando por uma corrente que impede que veículos entrem na pista. O principal mirante da trilha está localizado a 1,5 km de distância.

A primeira parte da trilha pode ser um pouco mais difícil na época de final da estação de chuvas. Depois disso, a caminhada se torna mais agradável, com granito sob os pés. O caminho atravessa um grande “inselberg”. À direita, o oceano e o horizonte, pontilhados com algumas ilhotas. Abaixo, as cores turquesas onde as ondas encontram as rochas. À esquerda, uma variedade de plantas incomuns.

Quase plana durante a maior parte do tempo, a trilha ocasionalmente passa por algumas cavidades naturais. As vistas do oceano revelam-se regularmente ao se aproximar de uma curva.

Quando chegar ao abrigo, o fim da trilha está próximo. Há uma vista para a famosa praia Anse Major e é possível chegar até o local e desfrutar de um mergulho. Ela é composta por duas pequenas baías separadas por algumas pedras grandes. É possível reservar um barco particular e voltar de forma mais rápida para a marina de Bel Ombre.

Glacis La Réserve

glacis la reserve

Distância: 0.9 km

Duração: 25 min

Dificuldade: muito fácil

Como chegar: na estrada Montagne Posée, estacione perto da estação Cable & Wireless em Bon Espoir.

Esta caminhada curta e rápida é uma das únicas a oferecer a chance de explorar a Montagne Posée, na parte sul da ilha, uma bem preservada floresta Seychellois. O caminho começa em uma plantação de mogno e muda para a floresta, onde uma coleção única de palmeiras endêmicas se alinha nos dois lados da trilha. Cinco espécies de Seychelles estão presentes ali, com espinhos característicos em seus troncos. Uma planta comumente encontrada nessa trilha é o abacaxi vermelho, cuja fruta é fúcsia brilhante. Também é possível encontrar plantas de cardamomo com suas longas folhas verdes.

Durante a trilha é recomendado procurar as plantas de baunilha selvagens que crescem entre os blocos de granito. Na temporada, essas orquídeas são ornamentadas com pequenas flores brancas.

Ao chegar na parte mais alta, há uma bela vista panorâmica da costa leste, com a maior enseada de areia branca da ilha, Anse Boileau e sua imensa lagoa. Ao longe é possível avistar as ilhas Praslin e La Digue.

Salazie Nature Trail

salazie

Distância: 2.9 km

Duração: 1 hora

Dificuldade: fácil

Como chegar: vindo de Victoria na estrada Sans-Souci, procure a placa à sua esquerda e siga por algumas dezenas de metros no caminho da floresta, onde você pode estacionar seu veículo.

Observe as árvores raras e pássaros endêmicos nessa trilha na floresta com relativamente poucos visitantes. Esta caminhada passa pela floresta, conectando duas rotas que cruzam a parte sul do Parque Nacional de Morne Seychellois.

A trilha começa em uma antiga plantação de chá perto da fonte de água que abastece toda a costa oeste de Mahé. Hoje, a área é usada para produção de madeira, principalmente mogno e santol. Este também é o habitat natural da coruja de Seychelles (Otus insularis), endêmica de Mahé.

Há uma ampla trilha aberta ao tráfego de veículos durante grande parte da caminhada. Nas acácias à direita, os pombos azuis das Seychelles podem ser observados quando chegam para se alimentar.

Depois de centenas de metros, a trilha leva a um local que serve de abrigo aos trabalhadores rurais durante tempestades. Após cruzar o rio por uma ponte de cimento, continue em direção a um prédio de manutenção de água. Após esse marco, a trilha, que ainda é bastante larga, começará a subir uma ladeira íngreme. Alguns minutos depois há um mirante panorâmico com uma vista que inclui vários picos diferentes. Da esquerda para a direita: Mission Lodge, Congo Rouge, acima deles Morne Seychellois e por último os Copolia Glacis.

Há ainda um caminho secundário onde você encontrará, na base de um enorme bloco de granito, um grande “Côco de mer “(Lodoicea maldivica), a famosa palmeira endêmica em sua versão masculina.

Paramais dicas de Seychelles no LeBlog, clique aqui.