Acontecimentos Gastronomia Novidades gastronômicas Restaurantes em São Paulo

Holy Burger reinaugura com ambiente cool e novidades no menu

Holy Burger_Ambiente_Rogerio Gomes (23)

Nós somos super fãs do Holy Burger desde 2013 quando surgiu sem endereço fixo, como uma marca de eventos com missão social e DNA hamburgueiro. Um ano e meio depois, abriram uma pequena e modesta hamburgueria na rua Dr. Cesário Mota Júnior com uma decoração rústica industrial. Agora, após dois meses de reforma a portas fechadas, o Holy reabriu totalmente remodelado, mas mantendo a essência descolada com pegada industrial que lembra muito alguns lugares de NY

Nessa nova fase a casa ganhou dois belos balcões (um do bar e outro da cozinha central), mais 13 lugares, e um cardápio inédito assinado por Filipe Fernandes.

Seguro de seu propósito, despretensioso e democrático, o novo Holy trouxe, além dos hambúrgueres maravilhosos, outras receitas originais, novos sanduíches e uma boa carta de drinks.

holy2

O menu parte de opções como os criativo *Chicken lollipops (um pirulito de asinha de frango frito bem temperado), os Dadinhos de pastrami (junção de homenagem ao ícone Mocotó e à aclamada receita do Fôrno) e as Kimchi fries (batata frita com a conserva coreana, creme azedo e gema de ovo curada).

Quatro sanduíches são estreados, destacando-se o Footlong Hot Dog (um hotdog com salsicha artesanal de 35cm, 100% bovina) com brioche avantajado, especialmente desenvolvido para ele) e o Tuna’n’egg (uma salada bem temperada de atum e ovo, salpicada com ovas de massagô, servida entre fatias do pão de miga da casa).

Os burgers são divididos em três categorias: os smashes (discos de 90 gramas feitos na chapa), os classics (160 gramas do mesmo blend carnívoro assados no char broiler) e os fancies (200 gramas de carne grelhada ao ponto do cliente).

Na primeira leva, brilha o Miami, que alia o burger fininho com american cheese, bacon e molho especial ao brioche caseiro. Na segunda, a receita que leva o nome da casa lista cheddar inglês, alface, tomate, cebola roxa, picles, bacon, maionese e brioche, além da carne. Já a terceira – e mais nobre – divide estreia com o PCQ (um cheeseburger com queijo tallegio no pão de caramelo) e o Minetta (burger sem queijo, com generosa porção de cebola caramelizada com canela e ovo frito).

À parte os hambúrgueres, a carne de excelência também pode ser conferida em um bife titânico – o House  Steak, um corte bovino marmorizado e macio (podendo ser denver, bife ancho, etc), invariavelmente suculento ao deixar a grelha. Ao prato, soma-se a substanciosa Holy salad, composta por folhas variadas, gorgonzola dolce, parmesão, molho secreto e bacon. É uma boa opção para quem esta de dieta também!

Devo dizer que a casa está muito aconchegante e o clima intimista do local faz os clientes se sentirem muito acolhidos com o atendimento atencioso e simpático. Em uma mesa logo na entrada pude perceber o prazer com que os clientes chegam neste agradável lugar. Muitos clientes, devo dizer. Tudo saboroso. O *Chiken Lollipop me encantou pelo visual e sabor levemente apimentado. Os Hambúrgueres são fartos e satisfazem o paladar. As batatinhas então merecem repeteco, fininhas e crocantes!

holy1

Para acompanhar há duas opções de milk-shakes (um de chocolate amargo e outro de caramelo com pipoca) e os coquetéis de Wagner França, também responsável pela carta do Fôrno.

Para a reabertura, o bartender aposta em clássicos como o elegante Fitzgerald (gim, angostura, limão-siciliano e xarope de açúcar), o potente Negroni e o refrescante Tom Collins (gim, limão-siciliano, xarope de açúcar, água com gás e cereja). O frescor também se nota em receitas autorais, caso do Bem-me-quer (união de cachaça de amburana, bitter e toque de gengibre).

Para encerrar com doçura, o cozinheiro Fih Fernandes calibrou as sobremesas: “O bolo de chocolate amargo com brigadeiro é o bolo da nossa adolescência, jamais vai sair do cardápio, mas agora ele é servido sobre uma ganache e acompanhado por sorvete de Fiori di latte. Já a cheesecake ficou mais densa, ganhou baunilha de verdade na massa e uma calda de morango mais ácida”. O pudim da latinha, segue firme e forte, e agora é servido numa dourada”.

Importante mencionar que, misto de bar e restaurante, o Holy eleva a experiência de uma lanchonete convencional. Em boa parte, isso se deve à personalidade descontraída e intimista do ambiente, que embora mais classuda do que nunca, permanece na mesma vibe.

Holy  |  R. Dr. Cesário Mota Júnior, 527, Vila Buarque, São Paulo. (11) 3159-2066