Bem Estar Cuide-se por Hospital Santa Paula

Dicas de saúde – Entenda um pouco mais sobre a Anemia e como ficar longe dela

img_6624-1.jpg

A anemia é um problema muito recorrente em nossa sociedade. Todos conhecemos alguém que tem ou já teve o problema.
Segundo a Organização Mundial de Saúde anemia é uma condição na qual o conteúdo de hemoglobina no sangue está abaixo do normal como resultado da carência de um ou mais nutrientes essenciais, seja qual for a causa dessa deficiência. As anemias podem ser causadas por deficiência de vários nutrientes como ferro, zinco, vitamina B12 e proteínas. Porém, a anemia causada por deficiência de ferro, denominada Anemia Ferropriva, é muito mais comum que as demais (estima-se que 90% das anemias sejam causadas por carência de Ferro).

O ferro é um nutriente essencial para a vida e atua principalmente na síntese (fabricação) das células vermelhas do sangue e no transporte do oxigênio para todas as células do corpo.

Hoje aqui no LeBlog vamos entender um pouco mais sobre esse assunto com ajuda da Endocrinologia Geral do Hospital Santa Paula para ficar longe desse problema!

Crianças, gestantes, lactantes (mulheres que estão amamentando), meninas adolescentes e mulheres adultas em fase de reprodução são os grupos mais afetados pela anemia, muito embora homens – adolescentes e adultos – e os idosos também possam ser afetados pela anemia.

Classificação da anemia
A anemia pode ser classificada em duas categorias: aquelas que nascem com o indivíduo (neste caso temos uma anemia hereditária) ou podem ocorrer com o indivíduo por algo que lhe acontece durante a vida (neste caso são as anemias adquiridas).

Anemias hereditárias: As anemias hereditárias geralmente se relacionam a alterações genéticas na fabricação do glóbulo vermelho – seja da membrana que dá forma ao glóbulo vermelho, seja das substâncias que estão em seu interior – hemoglobina e proteínas (enzimas). Neste grupo de anemias hereditárias temos algumas causas comuns em nossa população como as talassemias ou anemias do Mediterrâneo, comuns em indivíduos com ascendência italiana, portuguesa e libanesa; ou ainda a anemia falciforme, mais comum em indivíduos com ascendência africana.

Anemias adquiridas: As anemias adquiridas podem acontecer por carência de nutrientes, por alterações na medula óssea ou ainda por outra doença que leva a anemia por outros mecanismos. Assim, nos quadros de carência de vitaminas podemos citar a falta de ferro ou de vitamina B12; nas doenças da medula óssea podemos citar as leucemias ou a síndrome mielodisplásica. Já nas doenças que levam a anemia por outros mecanismos citamos as diversas doenças reumatológicas e infectocontagiosas, a insuficiência renal crônica ou as alterações de tireoide.

Tipos
A anemia pode ser dividida em seis tipos:

– Anemia ferropriva
Anemia ferropriva é o tipo de anemia decorrente da deficiência de ferro dentro do organismo levando à uma diminuição da produção, tamanho e teor de hemoglobina dos glóbulos vermelhos, hemácias. O ferro é essencial para a produção dos glóbulos vermelhos e seus níveis baixos no sangue comprometem toda cascata de produção das hemácias.

– Anemia por deficiência de vitamina B12
Na anemia por deficiência de vitamina B12 ocorre baixa contagem de hemácias devido a pouca quantidade dessa vitamina no organismo.

– Anemias causadas por deficiência de vitaminas, no geral, são chamadas de anemias megaloblásticas. Já alguns tipos de anemias causadas por deficiência de vitamina B12 são chamadas de anemias perniciosas. A deficiência de vitamina B12 pode resultar de uma dieta deficiente desta vitamina, que é encontrada principalmente em carnes, ovos e leites. Esse é um problema muito comum em vegetarianos e veganos

– Anemia hemolítica
Em pessoas saudáveis, os glóbulos vermelhos duram por cerca de 120 dias antes de serem descartados pelo organismo. Na anemia hemolítica, os glóbulos vermelhos no sangue são destruídos antes do tempo normal, sem dar tempo de serem repostos pela medula óssea.

– A anemia hemolítica ocorre quando a medula óssea não é capaz de repor os glóbulos vermelhos que estão sendo destruídos.

– A anemia hemolítica também tem sua forma autoimune, que ocorre quando o sistema imunológico identifica erroneamente seus próprios glóbulos vermelhos como corpos estranhos, desenvolvendo anticorpos que atacam as hemácias, destruindo-as muito prematuramente.

– Anemia aplástica
Esta anemia rara, com risco de vida, ocorre quando seu corpo não produz uma quantidade suficiente de glóbulos vermelhos. As causas da anemia aplástica incluem infecções, doenças auto-imunes e exposição a produtos químicos tóxicos. A doença pode se manifestar de diferentes formas e intensidades.

– Anemia causada por outras doenças
Algumas doenças podem afetar a capacidade do corpo de fazer glóbulos vermelhos. Por exemplo, alguns pacientes com doença renal desenvolvem anemia porque os rins não estão fazendo o suficiente para sinalizar a medula óssea que ela deveria fazer novos ou mais glóbulos vermelhos. A quimioterapia utilizada para tratar vários tipos de câncer também prejudica a capacidade do corpo de fazer novos glóbulos vermelhos, podendo causar a anemia.

Causas
A anemia ocorre quando o sangue não possui sangue vermelho suficiente. Isso pode acontecer se:

Seu corpo não produz células sanguíneas vermelhas suficientes
O sangramento faz com que você perca os glóbulos vermelhos mais rapidamente do que eles podem ser substituídos
Seu corpo destrói os glóbulos vermelhos.
Fatores de risco
Esses são fatores colocam você em maior risco de desenvolver anemia:

Uma dieta que não possui certas vitaminas:
Ter uma dieta com baixas quantidades em ferro, vitamina B12 e ácido fólico aumenta o risco de anemia.

Distúrbios intestinais:
Ter uma desordem intestinal que afeta a absorção de nutrientes no intestino delgado – como doença de Crohn e doença celíaca – coloca você em risco de anemia.

Menstruação:
Em geral, as mulheres que não chegaram ainda na menopausa apresentam maior risco de anemia ferropriva do que homens e mulheres na pós-menopausa. Isso porque a menstruação causa a perda de glóbulos vermelhos.

Gravidez:
Se você está grávida e não está tomando um multivitamínico com ácido fólico, você pode estar com um risco aumentado de anemia.

Condições crônicas:
Se você tem câncer, insuficiência renal ou outra condição crônica, você pode estar em risco de anemia de doença crônica. Essas condições podem levar a uma escassez de glóbulos vermelhos.

Sintomas de Anemia:

Fadiga generalizada
Anorexia (falta de apetite)
Palidez de pele e mucosas (parte interna do olho, gengivas)
Menor disposição para o trabalho
Dificuldade de aprendizagem nas crianças
Falta de ar
Tonturas
Dor no peito
Mãos e pés frios
Dor de cabeça
Apatia (crianças muito “paradas”).

Os sinais e sintomas da anemia são inespecíficos, necessitando-se de exames laboratoriais (sangue) para que seja confirmado o diagnóstico. Os principais sinais e sintomas da anemia são:

Buscando ajuda médica
Uma vez apresentando quadro de cansaço, fraqueza, indisposição, amarelamento de pele e mucosas, o paciente deve procurar o médico para um diagnóstico adequado e, se necessário, procurar um médico hematologista. Especialistas que podem diagnosticar são:

Clínico geral
Hematologista
Endocrinologista

É bom estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram;
Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade;
Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

Quando você começou a ter esses sintomas?
Seus sintomas vêm e vão ou são constantes?
Quão graves são os seus sintomas?
Alguma coisa parece melhorar seus sintomas?
Alguma coisa parece piorar seus sintomas?
Você é vegetariano?
Quantas porções de frutas e legumes você costuma comer em um dia?
Você bebe álcool? Em caso afirmativo, com que frequência e quantas bebidas você costuma consumir?
Você é um fumante?
Você já doou sangue mais de uma vez?
Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para gordura no fígado, algumas perguntas básicas incluem:

Qual é a causa mais provável dos meus sintomas?
Quais exames preciso fazer para confirmar?
A minha anemia é provável ou duradoura?
Quais tratamentos estão disponíveis e qual você recomenda?
Quais efeitos colaterais do tratamento?
Eu tenho essas outras condições de saúde. Como posso gerenciá-los melhor juntos?
Preciso seguir quaisquer restrições dietéticas?
Preciso adicionar alimentos à minha dieta?
Com que frequência eu preciso comer esses alimentos?
Não hesite em fazer outras perguntas, caso elas ocorram no momento da consulta.

Diagnóstico de Anemia
Para o diagnóstico da anemia, é necessário recorrer aos indicadores laboratoriais (hematológicos). O nível de hemoglobina é um dos indicadores que tem sido amplamente utilizado em inquéritos epidemiológicos para anemia, além de ser considerado adequado num diagnóstico preliminar para levantamentos em campo.

Um indivíduo está com anemia quando:

Mulheres: menor que 12g/dl
Homens: menor que 13g/d
Crianças de 6 a 60 meses: abaixo de 11,0 g/dl
Grávidas: abaixo de 11,0 g/dl
Exames
Os exames mais apropriados são:

Exame físico durante a consulta para analisar os sintomas
Hemograma completo: detecta se a taxa de hemoglobina está baixa e se o formato dos glóbulos vermelhos está alterado
Exames laboratoriais para analisar a deficiência de vitaminas.
Se você receber um diagnóstico de anemia, seu médico pode solicitar testes adicionais para determinar o tipo da anemia.
Tratamento de Anemia
O tratamento da anemia depende da causa.

Anemia ferropriva
O tratamento para esta forma de anemia geralmente envolve tomar suplementos de ferro e fazer mudanças na sua dieta.

Se a causa subjacente da deficiência de ferro é perda de sangue – além da menstruação – a fonte do sangramento deve ser localizada e interrompida. Isso pode envolver a cirurgia.

Anemias por deficiência de vitamina B12
O tratamento de ácido fólico e deficiência de B12 envolvem suplementos dietéticos e aumenta esses nutrientes em sua dieta.

Se o seu sistema digestivo tiver problemas para absorver a vitamina B12 dos alimentos que você come, você pode precisar de injeções de vitamina B12. No início, você pode receber os injeções todos os dias. Eventualmente, você precisará tomar apenas uma vez por mês, o que pode continuar para a vida, dependendo da sua situação.
Anemias hemolíticas
O tratamento de anemias hemolíticas inclui tratar infecções relacionadas e tomar medicamentos que suprimem seu sistema imunológico, o que pode estar atacando seus glóbulos vermelhos.

Dependendo da gravidade da sua anemia, pode ser necessária uma transfusão de sangue ou plasmaférese.

A plasmaférese é um tipo de procedimento de filtragem de sangue. Em certos casos, a remoção do baço pode ser útil.
Anemia falciforme
O tratamento para esta anemia pode incluir a administração de oxigênio, medicamentos para aliviar a dor e fluidos orais e intravenosos para reduzir a dor e prevenir complicações. Os médicos também podem recomendar transfusões de sangue, suplementos de ácido fólico e antibióticos.

Um transplante de medula óssea pode ser um tratamento eficaz em algumas circunstâncias. Um medicamento contra o câncer chamado hidroxiureia (Droxia, Hydrea) também é usado para tratar anemia falciforme.

Anemia tem cura?
As anemias adquiridas geralmente têm cura – principalmente as mais comuns (baixa ingestão ou perda aumentada de ferro e deficiência de absorção de vitamina B12).

As que ocorrem devido a outras causas (problemas em rins ou doenças reumatológicas) são tratadas indiretamente, uma vez que o tratamento destes problemas acaba por resolver a anemia.

As anemias que são causadas por problemas na medula óssea, por terem quadros mais complexos, e as anemias hereditárias, por serem de causa genética, necessitam de tratamentos mais específicos.

Complicações possíveis
Sem tratamento, a anemia pode causar muitos problemas de saúde, tais como:
Fadiga severa

Quando a anemia é grave o suficiente, você pode estar tão cansado que não pode completar tarefas diárias.

Complicações de gravidez
As mulheres grávidas com anemia por deficiência de folato podem ter mais probabilidades de sofrer complicações, como parto prematuro.

Complicações em crianças
Em crianças a anemia está associada ao retardo do crescimento, comprometimento da capacidade de aprendizagem (desenvolvimento cognitivo), da coordenação motora e da linguagem, efeitos comportamentais como a falta de atenção, fadiga, redução da atividade física e da afetividade, assim como uma baixa resistência a infecções.

Problemas cardíacos
A anemia pode levar a batimentos cardíacos rápidos ou irregulares (arritmia). Quando você é anêmico, seu coração deve bombear mais sangue para compensar a falta de oxigênio no sangue. Isso pode levar a um coração aumentado ou insuficiência cardíaca.

Convivendo/ Prognóstico
Para conviver bem com anemia é preciso seguir à risca as orientações médicas, promovendo as alterações exigidas na dieta e tomando os suplementos conforme indicado.

Dieta para anemia
– Confira 7 alimentos que ajudam a combater a anemia:

Ferro
Vitamina A
Ácido fólico
Vitamina B12
Vitamina C
Alimentos amargos para absorver os nutrientes
Cobre e zinco
Para saber mais sobre quais as vantagens de cada um desses alimentos

Prevenção
As causas mais comuns de anemia podem ser prevenidas com dieta balanceada e equilibrada e com acompanhamento médico regular.
Via Minha Vida

Clique aqui para ver mais dicas de saúde.