Bem Estar

POSTAGENS RECENTES

VER RESUMOS

Na coluna de saúde de hoje aqui do LeBlog o Hospital Santa Paula fala da importância de se proteger do sol.

Vivemos em um país tropical onde o sol brilha praticamente o ano todo. No verão, quando as praias e piscinas estão ainda mais convidativas, aumenta consideravelmente a nossa exposição ao sol.

Ao contrário do que muita gente imagina, a preocupação essa exposição ao sol no dia a dia deve ser tão séria do que quando estamos de roupa de banho: a proteção diária é essencial. Além dos raios ultravioletas, a luz visível (aquela emitida por aparelhos eletrônicos como celulares, computadores e tablets) e a radiação infravermelha (presente em tudo que produz calor, inclusive o secador de cabelo e a chapinha) também podem ser muito prejudiciais à pele.

Enquanto a radiação ultravermelha atinge a camada mais superficial da pele, conhecida como epiderme, a luz visível e a radiação infravermelha atingem a derme, interferindo diretamente sobre o colágeno, a proteína que dá firmeza à pele, favorecendo o envelhecimento precoce. Além disso, a luz visível é capaz de desencadear ou piorar diversas doenças de pele, como urticária, alergias e melasma.

Confira as orientações da dermatologista Vanessa Mussupapo, do Instituto de Oncologia do Hospital Santa Paula:

1 – O rosto é uma das áreas do corpo que mais sofre com a exposição ao sol?

Sim. O rosto é uma área muito exposta ao sol, por isso o cuidado deve ser redobrado. Especialmente em dias nublados e chuvosos, muitas pessoas abandonam o protetor solar e deixam o rosto exposto sem protetor solar. Isso contribui para o envelhecimento precoce da pele e pode ainda resultar em manchas de sol. O produto deve ser espalhado de maneira uniforme de 15 a 30 minutos antes da exposição e reaplicado a cada duas horas (e depois de cada mergulho ou suor excessivo) para obter a proteção adequada. Em dias quentes, é importante fazer uso de chapéus, bonés e óculos escuros.

2 – O protetor solar do corpo também pode ser usado no rosto?

É importante avaliar o tipo de pele, pois a maioria dos protetores de corpo tem uma textura mais oleosa. Há opções diferenciadas para o protetor de rosos como loção, gel, mousse e oil free, indicado para peles oleosas. O recomendado é utilizar um produto com FPS a partir de 30 nesta área.

3 – As maquiagens com filtro substituem o protetor solar?

As maquiagens com filtro não substituem o uso diário do protetor por possuírem baixo índice de proteção solar baixo, normalmente em torno de FPS 25, e cobertura muito fina. O ideal é utilizar protetor solar com base tonalizante.

4 – Qual a diferença entre os fatores de proteção solar?

O FPS 30 retém 96% da radiação UVB, enquanto o FPS 50 retém 98% e o FPS 100, 99%. Quanto mais sensível e clara for a pele, maior a necessidade de FPS. O FPS é o índice que determina o tempo que uma pessoa pode se expor ao sol sem ficar vermelha. Ou seja, se a pessoa começa a ficar com a pele vermelha em 10 minutos sem filtro, com o FPS 30 ela vai demorar 30 vezes mais a começar a ficar vermelha. A diferença está no tempo que você pode ficar exposto, ou seja, com o FPS 100 você pode ficar mais tempo sob o sol do que poderia ficar com o FPS30.

5 – O uso de filtro solar atrapalha a absorção da vitamina D?

Infelizmente sim. O filtro solar reduz a capacidade do organismo em sintetizar a Vitamina D, substância que possui um papel vital no organismo, pois atua na formação e manutenção da saúde óssea. Um filtro solar com FPS 30 chega a diminuir em 95% a síntese cutânea da vitamina D. Para manter os níveis adequados da vitamina no organismo, é necessário se expor ao sol pelo menos 10 a 15 minutos, entre 10h às 15h, sem proteção solar, ou através de suplementação.

6 – A pele negra é mais resistente ao sol?

Sim, porque possui maior quantidade de melanina. Neste caso, o FPS 15 já é suficiente.

7 – É permitido utilizar filtro solar e repelente ao mesmo tempo?

Claro. Não há perigo em usar os dois produtos simultaneamente. Para um melhor resultado, aplique o protetor solar primeiro e 15 minutos depois passe o repelente.

8 – Protetor solar é dispensável no inverno?

De forma alguma. A radiação no inverno no Brasil é tão intensa quanto a registrada ao longo do verão na Europa.

Para ficar atento e aproveitar o sol na medida certa! O bronzeado e a saúde agradecem.

Para mais dicas de saúde e bem-estar, clique aqui.

Com a correria do dia a dia a maioria das mulheres e boa parte dos médicos não se atenta para esses fatores, que antes eram muito associados ao coração masculino. Jornada de trabalho e cuidados em casa, vida social e pessoal, os níveis de stress ficam lá em cima.

Pesquisas mostram que a primeira causa de morte em mulheres com mais de 50 anos está relacionada a doenças do aparelho circulatório. A depressão acontece em 2 mulheres para cada homem, e hoje é reconhecida como um fator agravante das doenças cardiovasculares.

Alguns fatores de risco para a saúde costumam ser silenciosos, por isso é importante sempre ficar de olho. Colesterol alto,  hipertensão, sedentarismo e tabagismo podem ameaçar a saúde do coração.

Reconhecer os sinais de início da doença é fundamental para a prevenção de seqüelas futuras.

Possíveis sinais de infarto:

– Dores no peito e região da “boca do estômago”

– Náusea

– Palidez

– Sudorese

Possíveis sinais de AVC, o popular “derrame”:

– Amortecimento em um lado do corpo

– Dificuldade de fala e perda súbita de equilíbrio

Nesses casos, a velocidade do diagnóstico e início do tratamento é o segredo do sucesso.

A prevenção:

Felizmente os recentes avanços científicos nos trouxeram boas evidências sobre o mecanismo de desenvolvimento das doenças dos vasos. Avanços terapêuticos possibilitaram melhor controle de fatores de risco como a hipertensão e o colesterol elevado. Um vasto estudo científico concluiu que pequenos ajustes nos hábitos e o correto controle de fatores de risco como a hipertensão e colesterol são capazes de evitar 80% da chance de um infarto. Ou seja, é possível virar o jogo.

Dessa forma, deve ser feita a visita ao ginecologista anualmente para evitar as consequências de um câncer, mas também toda mulher deve ter como hábito fazer um controle da pressão arterial (mesmo que tenha um histórico de pressão baixa) e dos índices glicêmicos e de colesterol através de um exame de sangue. Colocar o check-up cardiológico na agenda de prevenção pode fazer uma grande diferença.

Fonte: Brazil Health

Todo ano, a revista América Economia Intelligence faz a lista “Os melhores Hospitais e Clínicas da América Latina”, fico muito muito feliz em dizer que ela primeira vez, o Hospital Santa Paula nosso parceiro há anos aqui do LeBlog entrou para a seleta lista, que conta com apenas oito Hospitais brasileiros.

A instituição ficou em 5º lugar entre os nacionais, atrás de grandes nomes como Moinhos de Vento (4º), Hospital Alemão Oswaldo Cruz (3º), Hospital Samaritano de São Paulo (2º) e Hospital Albert Einstein (1º). No ranking geral da América Latina, o Hospital Santa Paula ficou em 20º lugar.

Chegou o verão  e com ele o sol e as altas temperaturas! Como nós adoramos curtir uma praia e amarmos aquele bronzeado na pele, é preciso se cuidar. Para isso foi criado o Dezembro Laranja com o intuito de ajudar as pessoas na conscientização da prevenção do câncer de pele.

Para marcar sua abertura, o Hospital Santa Paula promove nesta sexta-feira, 01 de dezembro, das 9h às 15h, uma ação de conscientização gratuita, aberta ao público na recepção de internação do hospital.

Lá, o público terá a oportunidade de fazer uma simulação gratuita das condições da pele
por meio de uma máquina derma scan cujo emissor de luz com lâmpada de wood
permite uma visão instantânea de manchas no rosto, inclusive aquelas impossíveis de
perceber a olho nu. Também será possível avaliar as condições da pele antes e
depois da aplicação do protetor solar. A avaliação é totalmente interativa: o paciente
poderá acompanhar o processo pelo espelho interno regulável e receber a foto via
whatsapp.