Bem Estar

Hoje é dia de dica de saúde aqui no LeBlog e para esta semana, o Hospital Santa Paula dá importantes dicas para preservarmos o órgão mais importante do nosso corpo.

De acordo com o Ministério da Saúde, o infarto hoje é a principal causa de morte entre brasileiras acima dos 50 anos. Esses dados são um alerta, como declara o cardiologista Dr. Otávio Gerbara: “A população feminina precisa se conscientizar de que também está em risco”, pois não são só os homens são afetados pelos problemas cardíacos. Quanto antes a mulher começa a medir e a controlar o colesterol e a pressão (dois fatores que ameaçam o coração), maiores as chances de evitar problemas no futuro – quando o estrogênio, hormônio que protege a saúde cardiovascular, começa a cair naturalmente.

Aqui vão algumas dicas para manter o coração sempre saudável.

– Conheça seu histórico familiar:
As doenças cardiovasculares estão ligadas a fatores hereditários, então se alguém da sua família teve infarto, insuficiência cardíaca, angina, AVC (acidente vascular cerebral) ou já fez alguma cirurgia cardíaca, procure um médico para avaliar sua saúde. Mas nada de bobear só porque na sua família não existe histórico. Fatores não hereditários (os que estão ligados a nossos hábitos de vida) pesam bem mais que a genética quando o assunto é saúde cardiovascular.

– Conheça a sua rotina:
Faça uma lista do que você faz ou deixa de fazer. Você come bem? Pratica atividades físicas regularmente? Cuida das emoções? Fuma ou convive muito com fumantes? Sabe qual é sua pressão arterial normal? Na próxima consulta leve estes dados para seu médico ver.

– Visite o médico regularmente:
Um check up anual é a melhor maneira de verificar as taxas de colesterol, de glicemia (o excesso de açúcar pode levar a diabetes, doença perigosa para o coração), de triglicérides entre outras. A partir dos 50 anos, os exames devem ser mais rigorosos. Dependendo do caso, o médico pede com uma frequência maior. A chegada da menopausa ameaça a saúde do coração feminino porque o hormônio estrogênio, que diminui muito nessa fase da vida, é um protetor natural. Ele ajuda a tirar o colesterol ruim de circulação.

– Mude seu hábitos:
Na alimentação, aumente a quantidade de verduras, legumes e frutas, diminua as frituras, as comidas industrializadas e muito gordurosas e segure o sal. Sabia que o brasileiro ingere três vezes mais sódio por dia do que deveria? Esse controle está em nossas mãos. Afaste-se do cigarro. Se você ainda fuma, faça um esforço para parar, pois o cigarro não faz nenhum bem à saúde. Se convive com pessoas que fumam, evite ao máximo ficar perto da fumaça. Faça atividades físicas regularmente. Estabeleça um ritmo realista e sustentável, como meia hora, três vezes por semana. Com essa frequência de exercícios, seu coração já estará bem mais protegido.

– Conheça os sintomas:
O alerta de que o coração não vai bem é diferente nas mulheres e nos homens. Sinal de infarto nos homens é aquela dor forte no peito que irradia para os braços. Na mulher isso não ocorre. Os sintomas são dor nas costas, náusea, muito suor e palidez. Isso pode confundir até os médicos e o socorro chegar tarde demais! Se você notar inchaços pelo corpo, falta de ar e dor no peito, pode ser sinal de insuficiência cardíaca ou angina. Corra logo para o pronto-socorro.

– Controle o colesterol:
O colesterol é uma substância que existe naturalmente em nosso organismo e no de outros animais. Ele é importante para produzir hormônios e vitaminas, por exemplo. Existe o bom (HDL) e o ruim (LDL). O segundo, quando em excesso, pode se depositar nas paredes das artérias e dificultar a passagem do sangue, causando sobrecarga e problemas no coração. O problema é que a gente não percebe quando isso está acontecendo, pois não há sintomas. Você pode estar à beira de um infarto ou AVC sem nem suspeitar que tem um problema. Por isso é preciso controlar os níveis de colesterol no sangue fazendo exames todos os anos e mantendo uma alimentação saudável, sem exageros nos ovos, frituras e carnes gordurosas. Além disso, atividades físicas ajudam a manter os níveis de colesterol no lugar certo. Monitore a pressão. A hipertensão não provoca sintomas, então toda atenção vale a pena para controlar essa bandida. Entre as mulheres, veja só, ela provoca mais males do que entre os homens, como mostrou uma pesquisa recente feita nos Estados Unidos. Além de medir a pressão de vez em quando, maneire no sal e nos alimentos industrializados, quase sempre ricos em sódio.

Por fim, tente evitar o estresse e aprenda a relaxar. Um ótimo modo de fazer isso é com um alongamento em casa toda noite, respirando profundamente. Também há alguns alimentos específicos com ação comprovada pela ciência como auxiliares no controle da pressão. A beterraba é um deles, principalmente se for tomada como suco. Um copo de 250 ml, feito com duas beterrabas, pode ajudar bastante, mas não substitui a medicação receitada pelo médico.

Clique aqui para ver mais dicas de saúde.